segunda-feira, 14 de agosto de 2017

EMPODERAMENTO: NÃO É SOBRE O TAMANHO DO SEU BLACK POWER

Atualmente o termo EMPODERAMENTO tem sido muito empregado dentro de alguns grupos de lutas sociais. Ele é utilizado (ou deveria ser) para denominar o processo no qual uma pessoa se conscientiza e "se dá conta do seu poder". Empoderar-se é reconhecer-se enquanto sujeito(a) social, politico(a), autor(a), da sua própria historia e capaz de lutar por direitos que não são só seus,mas também de um grupo. Empoderamento é singular e é plural. Singular no sentido de que é um processo individual e pode ocorrer pelas mais diferentes motivações. Plural porque por meio do empoderamento aprendemos que a luta é coletiva, em prol das irmãs e irmãos.Ser empoderado(a) é elogiar um(a) companheiro(a), é defender os seus iguais que estão em situação de opressão,combater e denunciar o racismo - mesmo nas redes -, é inspirar e mostrar que as nossas características físicas não devem ser uma limitação para chegar onde queremos e que podemos sim ocupar qualquer espaço. É dizer pra uma preta que está com a auto estima fragilizada o quanto ela é linda. É enxergar e respeitar a beleza que existe na diversidade das nossas cores de pele,tipos de cabelo e formas do corpo. Inspirar e ensinar a cuidar da nossa estética também é empoderar. Pretos(as), ser empoderado(a) transcende o campo estético,então não vamos utilizar o termo como sinônimo de beleza,estilo ou algo parecido,certo? - Embora pessoas empoderadas sejam sempre bonitas,mas nem sempre vice-versa - ser empoderado(a) é entender que estamos juntos nessa luta e que somente juntos é que podemos ser de fato livres. Não estamos numa briga de ego. Vamos empoderar os nossos iguais e espalhar coisas boas por ai.

"Eu não serei livre enquanto houver"pretos(as) que não são, mesmo que suas algemas sejam muito diferentes das minhas".

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Sepromi abre inscrições para edital Novembro Negro com destinação de R$ 500 mil

Está aberto o período de inscrições para o edital Novembro Negro 2017. A iniciativa, do Governo do Estado, através da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi), destinará um total de R$ 500 mil para iniciativas que valorizem os ideais de luta, liberdade e emancipação, fortalecendo o calendário de atividades do Novembro Negro, o mês da consciência negra. O prazo final para o envio de projetos é 4 de setembro, com assinatura dos Termos de Colaboração programada para 31 de outubro.
A previsão é apoiar até 15 projetos que tenham como público-alvo a população negra baiana, assim como os povos e comunidades tradicionais, dentre outras características detalhadas no edital. As modalidades variam entre oficinas e seminários, em propostas de até R$ 30 mil, cada, bem como cursos de capacitação e formação de jovens comunicadores populares, estas duas últimas com valor de até R$ 40 mil.
A ação faz parte do calendário de 10 anos de implantação da Sepromi e integra as estratégias da Década Internacional Afrodescendente na Bahia. Podem participar organizações que tenham sede e funcionamento na Bahia, com existência há mais de dois anos e que desenvolvam ações voltadas à promoção da igualdade racial.
Formas de inscrição - Os projetos podem ser protocolados presencialmente na Sepromi, em horário comercial, ou via Correios, no endereço da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial do Estado da Bahia (Sepromi), que fica localizada na Avenida Manoel Dias da Silva, nº 2.177, Pituba - Salvador/Bahia - CEP 41. 830-000. Deverá ser endereçado à Comissão de Seleção de Projetos por meio de correspondência registrada ou via Sedex, até a data limite de recebimento de projetos. Maiores informações podem ser obtidas pelo telefone 71 3103-1418 ou pelo e-mail novembronegro2017@sepromi.ba.gov.br. 

x