segunda-feira, 23 de abril de 2018

Com recorde de publico no teatro do CUCA, é eleita a Miss Afro Feira de Santana 2018.

Cabelos Black Power, Turbantes e Estampas Coloridas tomaram conta do teatro do Centro Universitário de Cultura e Arte(CUCA), que esteve completamente lotado na noite de sexta-feira(13/04). A valorização e fortalecimento da cultura negra estavam presentes nos mais diversos símbolos, manifestações e expressões artísticas, atendendo ao que propõe o Concurso Miss Afro Feira de Santana. Idealizado e realizado pelo GRUPO CULTURAL MOVIAFRO, o concurso elegeu Vandriane Ribeiro de Deus, 28 anos, moradora do bairro do Tomba, como a representante das mulheres negras de Feira de Santana. 


Uma noite em que o clima de alegria sobrepôs ao de disputa. E não era pra menos. A concretização do evento teve que passar por cima de muitas dificuldades, inclusive a falta de recursos, porque foram poucos os patrocínios. Mas quando a causa é nobre, a vontade é grande e o esforço coletivo, é impossível não acontecer. Então havia mais que motivos para comemorar.
Evidente que as 14 finalistas, que já haviam sido selecionadas entre 123 candidatas inscritas, queriam brilhar e levar a melhor. E enquanto elas esperavam ansiosas pelo inicio do desfile, apresentações de Ronny Liens e Nilton Rasta, além da Banda Afro Pretos de Preta, mantinham as torcidas animadas.


Antes do principal momento do evento, as 14 candidatas instigaram a plateia que nela estava presente o Secretario de Cultura de Feira de Santana, jornalista Edson Felloni Borges e a comissão julgadora que foi formada por pessoas de importantíssima representatividade cultural em Feira de Santana e no Brasil, a exemplo de: Negra Jhô, Dão Turbantes, Orisa Gomes, Tanya Sacramento entre outros, com apresentações de danças assinadas pelo coreografo Marcos Tanferi, que também apresentou-se devidamente caracterizado para o publico presente que delirou com a sua performance afro. No ápice da noite, momento do desfile, cada uma deu seu melhor para conquistar o juri, que avaliou o envolvimento com questões sociais, simpatia, desenvoltura, harmonia corporal e beleza.








Muito emocionada, a vencedora afirmou que o Miss Afro é mais que um simples concurso de beleza. "A gente aprende muito sobre empoderamento, amor a si, ao nosso povo, a abraçar o nosso povo verdadeiramente. Que independente da nossa cor, classe social, etnia e principalmente da nossa raça, temos que estar sempre de cabeça erguida e nos colocarmos de forma igual em qualquer situação. E que mesmo surgindo dificuldades, temos que lutar e nunca se deixar abater" frisou.



Superação


O segundo lugar ficou para Vitoria Lainy Santos de Jesus, 22 anos, moradora do bairro Calumbi. Já o terceiro foi a vitoria da superação. Natalice Dias de Santana, 23 anos, moradora do bairro santo Antonio dos Prazeres, não permitiu que a ausência de parte de uma das pernas fosse empecilho para participar do concurso e desfilou graciosamente com muletas. A premiação foi comemorada por ela com lagrimas de alegria. Houve também a escolha da Miss Simpatia, que premiou Maiana Couto Silva de Jesus, 26 anos, também moradora do bairro do Tomba, eleita pelas próprias colegas.


Respeitem nossas pretas

Coordenador Geral do concurso e coordenador do Moviafro, Val Conceição enfatizou que a principal mensagem do Miss Afro para Feira de Santana é de respeito. "Respeitem nossas pretas". A mulher, de um modo geral, sofre muito, mas a mulher preta, sofre mais; com o preconceito, racismo e segregação. Exemplificou.

Apesar das dificuldades enfrentadas para a realização do evento e por vezes ter pensado em desistir, Val Conceição disse estar imensamente feliz com o resultado. A boa noticia para quem foi ver o Miss Afro é que poderá e vê-lo novamente e quem não participou da edição 2018, com certeza poderá participar em 2019. Pois segundo Val, muitas outras edições virão. "Se assim Deus permitir"

Nenhum comentário:

Postar um comentário