quarta-feira, 25 de julho de 2018

Mulher Preta.


Por Justinno Júnior

Mulher Preta

Sem propriedades para sentir tudo que perpassa a mulher preta, nessa nossa sociedade machista, sexista, racista.
Desconstruindo reproduções e pensamentos errôneos, para poder entender e discutir, o gritante e necessário assunto: Sociedade x Mulher Preta
Faz necessário eu quanto homem preto, mesmo diante de varias demandas opressoras e dificuldades cotidianas, devo reconhecer meus privilégios de homem.
Por exemplo, pelo simples fato do gênero eu (homem) não corro o risco saindo sozinho de ser assediado e o assedio virar estupro e o estupro virar assassinato e a vitima virar culpada.
Pela roupa curta vestida, por ter bebido e assim por diante, em caso de uma interrupção de gravidez ponho minha vida em risco.  
Mas vamos à luta, ou a continuidade dela...
Princesas e Rainhas lindas, quase nunca vistas, desvalorizadas, porém sempre usadas e desprezadas, muitas vezes vitima de um branqueamento forçado.
Alisadas para serem aceitas em escolas, empregos, relacionamentos (abusivos) e na sociedade de maneira geral
Negando as próprias raízes por terem ouvido que as mesmas eram feias, amenizando o preto com a morena, mais clara, canela, café com leite, mulata chocolate.



Na verdade nunca foi ruim ou duro sempre foi crespo e os cachos são relativos...
Procedimentos cirúrgicos das que não representam, em busca dos traços europeus nem de longe as tornam mais lindas, pois os lábios carnudos e o nariz identidade é de uma beleza que vai alem do afrodisíaco.
O seu gênero somado a fenótipo mais estético infelizmente tem sido relevante na hora do emprego, salário, casamento, sexo, parto, violência (verbal, física, psicológica sexual) feminicídio.
Entretanto resista e espalhe essa beleza preta, mesmo que a Tv não saiba, mesmo que a indústria de cosmético não saiba.
São sim rainhas e princesas.....

JUST PRETO

sábado, 21 de julho de 2018

Nelson Mandela

Na última quarta-feira dessa semana dia 18 de julho de 2018, a África do sul esteve em festa. Dia de comemorar o centenário do grande líder Nelson Mandela. 
Se ele estivesse vivo estaria levando adiante a sua luta por direitos e igualdade para seu povo!!!
Parabéns Madiba!!!! 
Que sua ancestralidade nunca desapareça para aqueles que também levantam a mesma bandeira que você levantou no Ayié!!!! 

Por: Ogã Oyá Tocy


quinta-feira, 19 de julho de 2018

Entidade afro feirense, recebe homenagem em Salvador.

A Associação Cultural Moviafro, de Feira de Santana, recebeu na tarde da última quarta-feira (18/07), a medalha "Liberdade e Inclusão" em evento realizado na capital Salvador. Comemorando o Dia Internacional de Nelson Mandela e ao seu aniversário de 100 anos, que seria completado  nesta data. Essa premiação  contemplou 20 personalidades e Lideranças Sociais, Culturais, Religiosas, Políticas, Imprensa, e de  Educação na Bahia.
A cerimônia ocorreu no Centro Cultural da Câmara Municipal de Salvador e foi idealizada pelo Instituto África 900. A Drª Patrícia Pinheiro, iniciou os trabalhos falando da importância da data para todo o povo negro e para todos que lutam pela liberdade e igualdade, em seguida foi formada a mesa com diversas personalidades negras, entre elas, a jornalista Wanda Chase, a cantora Margareth Menezes, o secretário de Cultura de São Francisco do Conde Osman Ramos, o comendador cubano Fernando Calderón Boris, além da Yalorixá Mãe Mara Tessunne que é vereadora no município de Muritiba e a primeira de religião de matriz africana em todo o recôncavo da Bahia. Após uma breve apresentação dos membros que compunham essa mesa, foi iniciada a entrega das medalhas. Segundo a organizadora Patrícia Pinheiro, a medalha "Liberdade e Inclusão" é o reconhecimento às instituições e pessoas que têm contribuído no combate ao racismo em todas as suas formas, todo e qualquer tipo de preconceito e intolerâncias. Para Val Conceição, coordenador do Moviafro, o fato da entidade feirense ter recebido esta medalha em Salvador que é sem duvidas o principal pólo de cultura afro-brasileira, é extremamente importante, pois nos dá a certeza de que estamos fazendo um trabalho significativo na requalificação e resignificação do movimento negro em Feira de Santana e só aumenta a nossa responsabilidade em manter e expandir esse trabalho, além de estreitar os laços com outros dirigentes de entidades negras da capital e do recôncavo, disse.


A Associação Cultural Moviafro é homenageada pela segunda vez este ano, a primeira foi no mês de Maio com o Troféu Axé Destaque São Francisco do Conde que também contemplou entidades que prestam serviços relevantes a comunidade de matriz africana. Ressaltou o dirigente.
Entre os agraciados estavam além dos já citados acima, a escritora mineira Carmem Brettas que recentemente lançou o livro " O segredo do grande líder Mandela", Clovis Dragone - Diretor Executivo da Revista Exclusiva, Drº Aristides de Oliveira Mascarenhas (Pai Ari de Ajagunã) - Presidente da FENACAB, Mãe Neci de Oxum - Membro da Irmandade de Nossa Senhora da Boa Morte, Júlio Leite e Marcos Poca Olho - compositores do tema 2018 do Bloco Afro Ile Ayiê, Edimilson Neves - Diretor de Projetos do Bloco Afro Ilê Ayiê entre outros.
A cantora Margareth Menezes após receber a medalha, deu uma palhinha acompanhada da Banda Afro Frutos do Conde de São Francisco do Conde e atração musical do evento, onde relembrou sucessos eternos como: Faraó, Elegibô e Alfabeto do Negão. Em seguida a dupla Julinho Magayver e Marcos Poca Olho, apresentarão a canção " Oração a Mandela" música tema do Ilê Ayiê em 2018.

Quando chamado para receber a premiação, Val Conceição falou de forma resumida a história do Moviafro, um pouco da sua história no movimento negro feirense, além de agradecer a todos que fazem parte desse coletivo.


".....em todo peito do povo negro, bate um coração Mandela".

 Veja fotos do evento:
















terça-feira, 17 de julho de 2018

2º Concurso Mister Afro Feira de Santana abre inscrições.

Estão abertas as inscrições para o 2º Concurso Mister Afro Feira de Santana 2018. Os organizadores do evento, esperam um número recorde de inscritos, já que este evento, se tornou referência na luta contra o preconceito racial e para o sentimento de pertencimento afrodescendente em Feira de Santana e região. 
Com o tema: EMPODERAMENTO - AUTO ESTIMA - CONSCIENTIZAÇÃO e  AUTOAFIRMAÇÃO. O Concurso Mister Afro, seguirá o mesmo padrão e objetivo do Miss Afro Feira de Santana que também é realizado pela Associação Cultural Moviafro, mais um curso que um concurso, já que os candidatos inscritos passarão por uma preparação bastante rigorosa no que diz respeito a conhecimentos das questões afrodescendentes, cultura, religião, política e religiosidade. Além de debaterem assuntos como: Racismo, preconceito, intolerância e homofobia. 

Segundo o coordenador geral Val Conceição, serão realizadas rodas de conversa, oficinas de formação, palestras, seminários e encontros com profissionais das mais diversas áreas, com o intuito de preparar e eleger um digno representante afro não só pela beleza estética facial ou física, mais sim pelo engajamento às questões sociais, raciais e de gênero. O Mister Afro busca dar visibilidade e empoderar o homem negro feirense da mesma forma que tem feito com as mulheres, através do Miss Afro. Sabemos das dificuldades que ambos enfrentam diuturnamente, para sobreviverem em um país que segrega e exclui o afrodescendente, mais desde a sua criação, o Moviafro busca, através dos seus eventos socioculturais conscientizar a população afro de Feira de Santana, da sua força e principalmente da sua importância na sociedade.
              

O Mister Afro 2018, terá as seguintes etapas:
Inscrições - Reuniões - Ensaios - Eliminatórias e a grande final, que será realizada no mês de Novembro, dentro das comemorações do mês da consciência negra em Feira de Santana. 

Os interessados poderão realizar as suas inscrições de segunda a sexta-feira, das 09:00h às 16:00h no Mercado de Arte Popular, na lanchonete Chalé do Beiju até o dia 16 de setembro. Está sendo cobrada uma taxa simbólica no valor de R$ 20,00 e como forma de incentivo, além de brindes, será oferecido também uma premiação em dinheiro. 

segunda-feira, 16 de julho de 2018

12ª Fest Black, pertencimento e afirmação.

Com um público recorde, cerca de aproximadamente 2 mil pessoas e com a presença de vários artistas locais, foi realizada no último domingo (15/07) a décima segunda edição da Fest Black, evento que celebra o sentimento de pertencimento dos moradores do Bairro Rua Nova.Idealizada pelo músico e ativista cultural, Arlécio Mattos, a Fest Black tem se destacado não só pelo pertencimento, mas também por conseguir atrair um público cada vez maior e de vários locais. O ritmo afro contagiante da Banda Pretos de Preta e as vozes consagradas de Leka Sanffer e Arlécio que são os cantores oficiais da banda, juntamente com André Lopes(Sem mais nem menos), Gilsan Reggaeman do Brasil, e Val Conceição (Grupo Mejí) que fizeram participações especiais, envolviam a cada instante as pessoas presentes que se deliciaram ao som de músicas como Faraó, Ladeira do Pelô, Protesto do Olodum e o hino do bairro, Cobra Coral que levou os presentes ao delírio quando foi cantada. 

O principal objetivo da Fest Black foi alcançado, cerca de uma tonelada de alimentos foram trocados pelas  camisas do evento, que também foram comercializadas por um valor simbólico que ajudou custear a festa, já que mais uma vez, os patrocínios adquiridos não foram suficientes para cobrir as despesas.

Ainda assim, ao final do cortejo, a sensação de dever cumprido era nítida nos rostos de todos envolvidos, principalmente o idealizador Arlécio e os componentes da banda, bem como aqueles que ajudaram direta ou indiretamente.
A Associação Cultural Moviafro, se fez presente dando apoio desde o primeiro momento da Fest Black há doze anos atrás quando ela foi criada, oriunda de um outro movimento que era o Cortejo da Independência, realizado pelo Bloco Afro Muzembela, que deixou de acontecer.
"....a Fest Black é a micareta da Rua Nova" disse Jamara Araujo, que acompanha a festa desde a sua primeira edição.
Devemos registrar também, a presença da polícia militar atraves da 64ª CIPM, a SMTT, Secretária de Saúde e a Guarda Cívil Metropolitana.
Veja os melhores momentos: