sexta-feira, 20 de abril de 2018

Mesmo sem recursos, entidades afro desfilarão na micareta de Feira de Santana 2018

"Persistir, resistir e não desistir"

Com essa frase, cerca de 20 entidades afro, desfilarão na micareta de Feira de Santana no sábado(21/04), penúltimo dia da festa. Após inúmeras reuniões, todas sem exito, de tentar a flexibilização da secretaria de cultura de Feira em relação as entidades afro local, para viabilizar recursos financeiros, aproximadamente 20 entidades ( Blocos Afro, Afoxés e Escolas de Samba) irão realizar seus desfiles por conta própria já que devido a problemas na prestação de contas de 2017, onde uma associação que celebrou convenio com a prefeitura não apresentou em tempo hábil, impossibilitando assim o poder publico de renovar esse convenio. Tais entidades reuniram-se e decidiram arcar com as despesas e manter o desfile que é tradicional na micareta de Feira e a historia diz que essa grandiosa festa foi originada dessas agremiações, que faziam a alegria do folião de rua(pipoca), já que no inicio, a festa era elitizada nos grandes clubes e para poucos. Para a maioria dos dirigentes das entidades, não houve sensibilização da prefeitura no sentido de ajudar essas agremiações que oferecem o diferencial na micareta já que Feira de Santana é a unica cidade na Bahia, depois da capital Salvador, que mantém a cultura de matriz africana na festa momesca, porém o poder publico não enxerga isso como positivo e procura de todas as formas reduzir o espaço que já é pequeno dessas entidades, diz um dos representantes do movimento, ainda segundo ele, na ultima reunião com a secretaria de cultura do município ficou claro que não há interesse nessa tradição, pois as entidades se comprometeram a manter o circuito quilombola, mas a proposta foi rejeitada, segundo o secretario de cultura do município, não havia possibilidade de oferecer os equipamentos no circuito, já que não foi realizada licitação para esses equipamentos, sem contar que não haveria policiamento disponível para tal. 
Não podíamos ficar de fora, pois pra muitas entidades, a micareta é o momento máximo, onde se mostra o trabalho que algumas entidades realizam durante o ano e correríamos o risco de perder definitivamente o espaço que conquistamos com muito suor, por isso aceitamos desfilar em um horário impraticável que nos foi oferecido, diz outro dirigente. A secretaria disponibilizou o horário das 09h ás 12h no sábado e no domingo, para todos, esse horário é inviável por não apresentar publico, não vai haver visibilidade diz o dirigente, mas como foi colocado, ou esse horário ou ficar de fora, concluiu o mesmo. O secretario de cultura, por diversas vezes, alegou que a culpa não era do município e sim da entidade que foi escolhida para liderar as demais, porém não vimos em momento algum um esforço daquela secretaria no sentido de amenizar a situação e dar continuidade a uma tradição de quase um século.
Foi dito na reunião que a prefeitura não iria disponibilizar absolutamente nada para ajudar nos desfiles, que apenas o circuito Maneca Ferreira estaria livre para a cultura de matriz africana e somente nos horários pré-estabelecido. Confirmando assim, o descaso com essa cultura tão rica e que é a origem de tudo. Algumas entidades que irão desfilar serão contempladas com o PROGRAMA OURO NEGRO do governo do estado, porém o que também é de se lamentar é que esse programa que viabiliza verba para essas entidades só as contemplam com sessenta dias após a micareta o que dificulta muito a aquisição de materiais e contratação de profissionais para apresentações, porém para as entidades contempladas ainda é um alento terem esses recursos, mesmo que tardio. Mas, infelizmente outras agremiações não foram aprovadas no edital ouro negro, ficando assim sem a verba do município e sem a verba do estado o que forçou há algumas delas a desistirem do desfile o que poderá ser prejudicial no futuro.

O Grupo Cultural Moviafro é solidário com todas as entidades que indiretamente estão sendo penalizadas e independente de quem errou se coloca a disposição para o fortalecimento desse grupo que como foi dito no inicio da matéria, são as raízes dessa festa.

Um comentário:

  1. O Blog Video Manya de Fane relançou nas mídias esse assunto tão ruim para a festa de mas de 80 anos de vida na Bahia.A Micareta.

    ResponderExcluir